Hospital Regional de Divinópolis tem edital lançado nesta quinta-feira

Unidade estava com as obras paralisadas desde 2016 e após a conclusão vai atender demandas da média e alta complexidade.

A gestão Romeu Zema (Novo-30) deu mais um passo para avançar no atendimento à saúde da população mineira, ampliando o atendimento e levando especialidades para o interior. Foi publicado, nesta quinta-feira (29), no Diário Oficial do Estado, o aviso de edital de licitação, na modalidade Regime Diferenciado de Contratação, para a conclusão das obras do Hospital Regional de Divinópolis, no Centro-Oeste. O complexo começou a ser construído em 2011, mas teve as obras interrompidas na gestão passada, em 2016.

As visitas técnicas das empresas interessadas em participar do processo licitatório estão programadas para os dias 17 e 18 de outubro, mediante agendamento, e a abertura dos envelopes com as propostas será no dia 27 do mesmo mês. A previsão é de três meses para contratação e de 24 a 30 meses para conclusão de todo o serviço.

Até o momento, também já saíram os editais para finalização das obras das unidades de Governador Valadares, Conselheiro Lafaiete, Teófilo Otoni e Sete Lagoas. Todas essas obras estavam paralisadas desde gestões anteriores e tiveram o compromisso de serem retomadas pelo governador e candidato à reeleição, Romeu Zema. Os recursos já estão garantidos pelo termo de reparação aplicado contra a mineradora Vale em função do desastre de Brumadinho.

O projeto do Hospital Regional de Divinópolis prevê 197 leitos, dos quais serão 134 de internação; 45 de UTI; 10 de cuidados intermediários; 8 leitos obstétricos. Há ainda previsão de mais 20 leitos de observação na unidade de urgência e emergência. O investimento na unidade regional é de R$ 45 milhões e irá suprir a demanda por atendimentos na média e alta complexidade na região Centro-Oeste mineira.

A Secretaria de Estado de Saúde já aprovou, em novembro de 2021, o financiamento de leitos para contribuir com o início do funcionamento dos Hospitais Regionais, que serão geridos por organizações sociais com experiência e expertise em administrar unidades 100% SUS. Serão repassados, mensalmente, R$ 3.995,99 para cada leito de enfermaria SUS e R$ 11.498,28 para cada leito de UTI SUS em funcionamento.

Facebook
Twitter
LinkedIn